Durante a sessão solene em homenagem à 6ª semana sobre drogas, o superintendente da Polícia Rodoviária Federal no Acre (PRF), César Henrique, usou a tribuna da Assembleia legislativa do Acre (Aleac) para destacar as grandes dificuldades enfrentadas pela instituição. Para ele, o grande problema da segurança pública é a falta de política do estado.

“Quero dizer aos senhores deputados aqui presentes que o problema da segurança pública não é da polícia, mas da falta de política do estado, e não é culpa do governo federal, pois somos órgão do estado, e fazemos apenas o que nos determinam. O plano de políticas públicas não está funcionando nos estados, pois o governo federal tem um plano, mas os estados não o seguem”, ressaltou César Henrique.

“O governo do Acre precisa tomar uma atitude”, destacou César Henrique/Foto: reprodução

Ele apontou as principais dificuldades enfrentadas pelos policiais no combate ao crime. “O governo precisa tomar uma atitude, para que os estados de fronteiras, possam combater o tráfico de drogas e de armas, tendo em vista que temos 16 mil quilômetros de fronteiras para proteger, evitando assim que drogas e armamentos cheguem aos grandes centros do Brasil. Diariamente somos ameaçados, não temos segurança, e muito dos senhores não sabem disso. Os polícias precisam ter muito equilíbrio para enfrentar esses bandidos que não temem mais  ninguém”, frisou o superintendente da PRF.

César Henrique destacou ainda que o sistema de segurança prisional está falido, e pediu que o governo valorize os policiais militares.

“Nós da Polícia Rodoviária Federal temos um bom salário, graças a Deus, mas esses profissionais das polícias estaduais não. Portanto, precisamos de ações eficientes, tanto do governo do estado, quanto do governo federal”, concluiu ele.

Comentários