Brasil faz 4 a 0 no Panamá em Goiânia depois de Neymar acordar o time em precisa cobrança de falta no primeiro tempo

iG

Neymar cobra falta que resulta no primeiro gol da seleção brasileira. Foto: Wander Roberto/VIPCOMM
Neymar cobra falta que resulta no primeiro gol da seleção brasileira. Foto: Wander Roberto/VIPCOMM

A seleção brasileira venceu o Panamá no Serra Dourada, em Goiânia, nesta terça-feira, no penúltimo amistoso antes da estreia na Copa do Mundo por 4 a 0. Os gols foram de Neymar e Daniel Alves no primeiro tempo, e Hulk e Willian, no segundo. Apesar do placar, o time de Felipão não teve a facilidade esperada contra um adversário fraco e sem nenhuma participação em Copas.

O talento de Neymar, autor de um belo gol de falta aos 26 minutos do primeiro tempo, foi decisivo para que uma partida que caminhava para ser lembrada pelas vaias passasse a ter no enredo mais um exemplo de como o camisa 10 do time de Luiz Felipe Scolari é o termômetro da equipe às portas do primeiro Mundial no Brasil em 64 anos.

Aos 22 minutos, depois de um lançamento errado de Luiz Gustavo, boa parte do estádio começou a vaiar o time. As dificuldades de se impor contra a 35ª colocada no ranking da Fifa estavam evidentes. O goleiro panamenho McFarlane não foi obrigado a fazer nenhuma defesa no primeiro quarto de jogo.

Jogadores da seleção brasileira comemoram um dos quatro gols marcados sobre o Panamá. Foto: Getty Images
Jogadores da seleção brasileira comemoram um dos quatro gols marcados sobre o Panamá. Foto: Getty Images

Em pé à beirada do campo, Felipão balançava a cabeça depois de cada erro de ataque do Brasil. Oscar, Ramires e Luiz Gustavo, não conseguiram dar a consistência necessária para armar jogadas. E Neymar apareceu. Aos 25 minutos, numa arrancada em diagonal, ele chegou na entrada da área e foi derrubado por Tejada, que recebeu amarelo.

Era o momento para Neymar colocar em prática tudo que vinha treinando na última semana. O cobrador oficial de faltas do Brasil colocou a bola no ângulo do mesmo gol que na véspera havia treinado seguidamente sob o olhar de Felipão. E o que era impaciência virou alegria no Serra Dourada. O gol tranquilizou o time, que passou tocar mais a bola, Mas mesmo assim, apenas seguiu o protocolo esperado para o encontro contra o panamenhos.

Daniel Alves marcou aos 39 minutos do primeiro tempo depois de jogada individual pela direita e um chute forte no canto direito de McFarlane. A zebra definitivamente passaria longe do Serra Dourada, onde agora em 14 jogos a seleção nunca perdeu: 12 vitórias e dois empates.

Na volta do intervalo, Felipão fez três alterações que já estavam programadas. Sairam Daniel Alves, Marcelo e Ramires, e entraram Maicon, Maxwell e Hernanes. Com um minuto do segundo tempo, Neymar deu mais motivos para  torcida sorrir. Deu belo passe para Hulk entrar na área e chutar forte para anotar seu 10º gol em 40 jogos pela seleção.

Fred disputa a bola com três jogadores do Panamá. Foto: Getty Images
Fred disputa a bola com três jogadores do Panamá. Foto: Getty Images

Neymar continuava sendo protagonista, no papel que Felipão e toda a torcida brasileira esperam que ele repita a partir de 12 de junho, data na estreia na Copa contra a Croácia em São Paulo. Foi ele que iniciou a jogada do quarto, aos 27 minutos. Ele achou Maxwell na ponta esquerda e o lateral cruzou para Willian marcar. O meia havioa acabado de entrar no lugar de Oscar. Henrique na vaga de David Luiz e Jô na de Fred foram as outras mudanças.

O público de Goiânia reconheceu o talento de Neymar aos 30 minutos do segundo tempo. Depois de receber impedido um passe dentro da área, ele dominou no peito e deu uma linda bicicleta para defesa de McFarlane. Ainda que o lance não valesse, foi o suficiente para que todo Serra Dourada cantasse o nome de Neymar. No meio campo, ele levantou os braços e acenou para arquibancadas em agradecimento.

O mesmo carinho ele espera receber do público de São Paulo, na sexta-feira. No Morumbi o Brasil enfrenta a Sérvia, rival escolhido por suas semelhanças com a Croácia, primeira rival na Copa. Os erros que Felipão viu no Serra Dourada, diz o técnico, devem ser superados no Morumbi. Se depender de Neymar, a tarefa não parece difícil.

Daniel Alves comemora com Hulk e Fred o segundo gol do Brasil. Foto: Wander Roberto/VIPCOMM
Daniel Alves comemora com Hulk e Fred o segundo gol do Brasil. Foto: Wander Roberto/VIPCOMM

Comentários