Desde as primeiras horas comercial desta quinta-feira, dia 13, os funcionários terceirizados que executam a limpeza do hospital regional Wildy Viana, resolveram cruzar os braços por causa de atrasos em seus salários.

Segundo os funcionários, somente os serviços essenciais estão garantidos. Mas, a limpeza geral está suspensa e a suspensão quase total poderá acarretar em problemas maiores dentro a unidade hospitalar.

Segundo foi levantado, os funcionários estão buscando receber o 13º salário de 2018 e cerca de três meses que vem se acumulando consequentemente. A previsão para esta quinta-feira, seria uma transferência da Sesacre para a empresa Limpacre, que pagaria apenas o mês de abril.

Diante do desespero em ter suas contas atrasadas e acumuladas, os funcionários resolveram cruzar os braços até que a questão seja resolvida. O jornal oaltoacre.com tentou contato com a empresa via telefone, mas, não conseguiu conversar com o diretor identificado como ‘Senhor Denis’, que não retornou à ligação.

Ouça entrevista com Joaquim Lira, que faz parte da direção do hospital Wildy Viana e uma das funcionarias que paralisou os trabalhos.

Comentários