Dentre outras vantagens, iniciativa reduzirá os custos com deslocamento de réus, vítimas e testemunhas, promovendo maior eficiência nas gestões orçamentária e gerencial.

O presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Acre (TJAC), desembargador Francisco Djalma, e o vice-presidente da Corte, desembargador Laudivon Nogueira, cumprindo agenda de trabalho, receberam, na manhã desta terça-feira, 16, na sede do TJAC, o governador do Estado, em exercício, Wherles Rocha.

Durante o encontro, conduzido pelo desembargador-presidente, foi apresentado ao Executivo Estadual o projeto, de iniciativa do Poder Judiciário Acreano, de instalação do sistema de videoconferência destinado às pessoas recolhidas ao sistema prisional e aos processos de organização criminosa.

Da reunião, também participaram os desembargadores Samoel Evangelista e Regina Ferrari, a juíza-auxiliar da Presidência, Andrea Brito, o coordenador do Grupo de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário e Socioeducativo, juiz de Direito Robson Aleixo, os secretários de Estado Ribamar Trindade (chefe da Casa Civil), Semírames Plácido (Fazenda), Paulo Cézar (Segurança Pública), o presidente do IAPEN, Lucas Gomes, e o diretor do Tesouro Estadual, Raymson Ribeiro.

Ao abrir os trabalhos, o presidente Francisco Djalma asseverou que a implantação da videoconferência no sistema prisional representa um grande avanço, “gerando economia e segurança para todos os partícipes do sistema de segurança pública, Poder Judiciário, Ministério Público e Defensoria”.

Em seguida, o desembargador Laudivon Nogueira procedeu com o detalhamento do projeto, apresentando as justificativas, bem como no que diz respeito à tecnologia a ser usada para a efetivação da iniciativa.

Ao final, o governador, em exercício, garantiu todo o empenho possível, por parte do Executivo Estadual, no sentido da viabilização do projeto, destacando a necessidade de sem encontrar uma maneira mais célere possível para a implantação do sistema de videoconferência. “Não vamos ficar parados, de forma alguma”, disse Rocha.

Comentários