Conecte-se conosco

Acre

Todo Acre fica na faixa amarela e Comitê da Covid-19 acende alerta sobre variante Delta

Publicado

em

Fonte arte: Ac24horas

O Comitê de Acompanhamento Especial da Covid-19 anunciou em coletiva na manhã desta sexta-feira, 9, que a regional do Alto Acre que até então estava em faixa verde regrediu para a faixa amarela, as regionais do Baixo Acre, Purus e do Juruá se manteve mais uma vez na fase de atenção, representada pela cor amarela. Foi analisado o período de 20 de junho a 3 de julho.

A avaliação do comitê leva em consideração sete fatores: índice de isolamento social; índice de notificações por síndrome gripal; índice de internação por síndrome gripal; índice de novos casos por síndrome gripal Covid-19; índice de óbitos por Covid-19; ocupação de leitos clínicos – Covid-19 e ocupação de UTIs Covid-19.

Com a regressão da classificação no Alto Acre, todos os segmentos comerciais e igrejas podem funcionar com a capacidade de 50% em todas as regionais. O horário de funcionamento para bares e restaurantes fica estendido até a meia-noite.

A coordenadora do Comitê, Karolina Sabino, explicou que a mudança da faixa no caso do Alto Acre ocorreu após um aumento no número de óbitos em relação ao período da fase verde. Segundo ela, as outras regionais tiveram uma tendência tímida de casos e foi possível constatar um número menor na adesão de índice de isolamento social devido a flexibilização das medidas.

Na coletiva, Marcos Lima Malveira, da Vigilância Sanitária Estadual, acendeu o alerta sobre a variante delta do coronavírus que é um dos principais motivos do agravamento recente da pandemia de covid em países onde a vacinação está avançando bastante. A OMS acredita que a variante, que é muito mais transmissível que as outras mutações do coronavírus já identificadas, têm potencial para se tornar a dominante no mundo nos próximos meses

Segundo ele, não há casos suspeitos dessa variante no Acre, no entanto, já foram confirmados mais de 20 casos dela no país e em alguns estados já ocorre a transmissão comunitária. Ele pediu que aquele ou aquela que já esteja apto a receber a segunda dose da vacina, que procure um ponto de imunização para completar o ciclo vacinal e diminuir as chances de circulação desse vírus.

“Essa variante Delta vem se tornando mais prevalente no mundo e provocou alguns sustos em Israel e um número maior de internações e de casos nos Estados Unidos, em estados que estão com baixa cobertura vacinal. Até o momento, foram confirmados 20 casos dessa variante no país, no entanto, não há confirmação pelo Acre, mas o que se sabe é que há a transmissão comunitária dessa variante no país. Por isso, é necessário que a gente permaneça alerta com os cuidados de higiene, distanciamento social, uso de máscaras e álcool gel e acelere a cobertura vacinal para conter essa variante. Então, se você puder receber a segunda dose da vacina não espere, procure um ponto de vacinação e encerre o ciclo vacinal”, afirmou.

O diretor do Instituto de Traumatologia e Ortopedia (Into), Osvaldo Leal, unidade escolhida como referência para tratamento da Covid-19, afirmou que a unidade tem pouquíssimas pessoas internadas e cobrou das prefeituras mais agilidade na imunização.

“O Into vive o seu melhor momento em relação às internações com menos de 20 pacientes internados entre leitos clínicos e de UTI. Vale ressaltar que a unidade já teve mais de 200 pessoas internadas, mas precisamos manter os cuidados de higiene, uso de máscara, álcool gel e o distanciamento social para não ocorrer uma regressão de faixa e aumento no número de casos. Além disso, as prefeituras têm que agilizar a imunização e buscar aqueles que perderam a segunda dose para completar a fase vacinal assim garantindo uma cobertura maior”, salientou.

Autor: 

Comentários

Acre

Com o apoio do governo, produtores de Xapuri alavancam safra de mandioca e milho

Publicado

em

Com o apoio do governo, produtores de Xapuri alavancam safra de mandioca e milho

O secretário de Produção e Agronegócio, Nenê Junqueira, esteve visitando na última sexta-feira, 21, produtores de Xapuri que, com incentivo do Estado, estão aumentando sua produção de mandioca e milho.

Secretário Nenê Junqueira e o produtor Raimundo Nonato visitando plantação de mandioca. Foto: José Caminha/Secom.

A Casa de Farinha do Gui iniciou com a cessão de um forno automatizado, uma prensa e um cevador do Estado. Hoje, com esse empurrão que o governo deu, o produtor Raimundo Nonato já adquiriu outros três fogões, aumentou a produção de farinha e ainda ajuda outros 10 produtores locais com o seu empreendimento.

“Eu comecei trabalhando lá na Casa de Farinha feita pelo Governo, de lá, obtive essa ajuda para iniciar a minha. Hoje, com a reforma que estou fazendo vou ampliar a minha produção. Atualmente, produzo de três a quatro toneladas de farinha, por dia”, reforça.

Além disso, ele garante que o número de funcionários vai aumentar de 10 para 14. Ele é presidente do grupo dos “mandioqueiros” da região e continua obtendo o apoio do governo.

“Se não fosse esse incentivo, não estaríamos aqui. O governo tem sido parceiro dando apoio técnico e na mecanização”.

O produtor Paulino Cândido já pensa em diversificar a produção, apostando também na farinha. Foto: José Caminha/Secom

A comunidade também investe na produção de goma. Seu José de Oliveira produz 100 quilos, por dia e vende tudo na feirinha local. Ele conta que quando a safra da mandioca está boa, consegue atender o mercado de Epitaciolândia e Brasileia.

O produtor Paulino Cândido de Oliveira também está investindo numa Casa de Farinha que vai beneficiar outros produtores da região.

“Comecei com quatro hectares de mandioca plantados, hoje tenho 14 plantados e quatro arrendados. Eu trabalho com goma, mas por questão de mercado, vou começar a trabalhar com a farinha”, explica.

O deputado Manoel Moraes também esteve visitando e conversando com os produtores. Foto: José Caminha/Secom

Rubens Inácio Júnior começou a ser acompanhado pela Secretaria de Produção e Agronegócio em 2021 e tinha 60 hectares de milho plantados. Agora em 2022, possui 200 hectares.

“Temos buscado atender do pequeno ao grande. Todo esse milho vem para fortalecer a produção do Alto Acre e mostra o compromisso do nosso governo fortalecendo as cadeias produtivas”, reforça o secretário Nenê Junqueira.

Comentários

Continue lendo

Acre

Bebê de mulher com Covid que nasceu em parto de emergência no AC recebe alta e tem anticorpos contra a doença

Publicado

em

Por

Michele da Silva segue internada na UTI do Hospital do Juruá. Lucas Arthur recebeu alta há uma semana e a mãe o vê por videochamada.

Entre os significados do nome Lucas, está “iluminado” e parece ser uma boa característica para o pequeno Lucas Arthur Lima, que com menos de 20 dias de vida já enfrenta uma longa batalha. Mesmo pequeno e indefeso, o bebê ainda não pôde sentir o colo quentinho da mãe, Michele da Silva, de 32 anos.

enquanto sua mãe estava entubada devido à Covid. Veio ao mundo com 34 semanas de gestação, o que corresponde a quase 7 meses, pesando 2,160 gramas e medindo 44 centímetros. Ao nascer, ele teve uma parada cardíaca e foi reanimado.

Uma longa batalha para poucos dias de vida. Mas, agora o cenário começa a mudar para o pequeno. É que na última segunda-feira (17), ele recebeu alta e pôde ir para casa. Além disso, depois de três testes, foi constatado que ele não nasceu com Covid, mas desenvolveu anticorpos contra a doença.

Apesar de já estar em casa, Lucas ainda aguarda o retorno da mãe, que segue internada na UTI Covid do Hospital do Juruá, em Cruzeiro do Sul. Ela deu entrada no hospital no dia 1º de janeiro e desde então tem lutado pela vida dela e de Lucas.

Ela passou 16 dias inconsciente, mas esta semana foi extubada e conseguiu conhecer o filho por uma videochamada.

O marido dela, o agricultor Alexandre Lima, de 27 anos, contou que no boletim médico dela, atualizado nesse domingo (22), o estado de saúde dela melhorou em 50%. Ele conta que o pequeno Lucas é o mais novo de três filhos, de seis e quatro anos, e conta que tem contado com o apoio da mãe para dar conta dos meninos sem a companheira ao lado.

“Ela já está bem melhor. Esta semana mandamos áudio fortalecendo ela e conheceu o bebê por videochamada. Depois que ela passou a vê-lo melhorou bastante, segundo os médicos passaram pra gente. Eu ainda não consegui ver ela assim, mas a equipe médica faz as chamas e minha mãe mostra o Lucas por vídeo e manda fotos”, conta.

Para que a mãe pudesse cuidar do recém-nascido, Lima contou que foi para a casa, que fica no Seringal Profeta, perto de Rodrigues Alves, e levou os dois filhos mais velhos e um sobrinho. Ele conta que não tem sido fácil a vida longe da mulher, mas que tem feito o máximo para poupar os filhos.

“A bolsa com as coisas dela eu ainda não trouxe para casa para os meninos não ficarem chorosos e perguntando. Deixei o Lucas com minha mãe, que ela cuida muito bem, e aí vou visitar e também deposito dinheiro para as coisas que ele precisa. Os médicos ainda não falam em dia de alta, mas espero que no dia que eu trouxer a bolsa com as coisas dela, eu volte completo para casa, se Deus quiser”, diz emocionado.

Bebê está morando com a avó paterna  — Foto: Arquivo pessoal

Bebê está morando com a avó paterna — Foto: Arquivo pessoal

Internação

 

Antes de ser diagnosticada com Covid, Michele tinha passado por algumas unidades de saúde porque estava com infecção urinária. Como estava grávida, no hospital de Rodrigues Alves, ela foi orientada a buscar atendimento na Maternidade de Cruzeiro do Sul.

Passou alguns dias na maternidade e quando teve alta do hospital, após alguns dias, passou mal e testou positivo para a doença. O marido acredita que ela tenha sido infectada durante esses atendimentos, porque na zona rural onde moram as casas são afastadas e, segundo ele, Michele se cuidava bastante devido estar grávida.

Ela também já tinha tomado duas doses da vacina quando se infectou.

Parto ocorreu enquanto mã estava intubada da Covid — Foto: Arquivo pessoal

Parto ocorreu enquanto mã estava intubada da Covid — Foto: Arquivo pessoal

Parto de emergência

 

A mãe chegou ao Hospital do Juruá dias antes do parto e com agravamento do quadro foi levada para a UTI. Nas ultrassonografias de controle, ela estava com diminuição do líquido amniótico e o bebê estava iniciando um quadro de sofrimento fetal, segundo informou o pediatra que acompanhou o menino, Rondney Brito.

Logo após o nascimento, o bebê foi transferido para a UTI da maternidade, onde inicialmente foi intubado. Como a cesariana foi feita com a mãe em quadro de Covid, o bebê ficou em isolamento. Doze dias depois e com três testes negativos para Covid, o bebê recebeu alta, onde aguarda a alta da mãe na casa da avó.

Comentários

Continue lendo

Acre

Futebol Solidário arrecada quase 1 tonelada de alimentos em Capixaba

Publicado

em

O deputado federal Alan Rick foi um dos convidados para compor o time das Estrelas do Futebol Solidário, em Capixaba. O evento realizado pela prefeitura e Câmara Municipal da cidade, com o apoio do parlamentar, ocorreu nesta quinta-feira, 20, no estádio José Colásio.

O time das Estrelas também contou com a presença de ídolos do futebol, empresários, influencers. Entre eles, os ex-jogadores Amaral, Aloísio Chulapa, Donizete Pantera, Bujica, o goleiro acreano Tomate, o Rei Artur, Adriano Louzada, o ex-BBB Felipe Prior, o youtuber Muca Muriçoca, o ex-Pânico Pedrinho Moura, o acreano Marcelo Bimbi e outras celebridades.
O Futebol Solidário tem sido realizado em várias cidades do país com o objetivo de arrecadar donativos para ajudar famílias em situação de vulnerabilidade. Em Capixaba, a entrada do público foi condicionada a doação de 2kg de alimentos não perecíveis.

No campo, o time das Estrelas goleou o time local. Placar foi de 6 X 3. Mas, a grande goleada foi a do povo que doou. De acordo com a organização, nesta sexta-feira foi realizada a coleta nos 6 pontos de troca pelo ingresso e a arrecadação foi de mais de 800kg de alimentos não perecíveis.

“A festa foi linda! Apesar de não estar em condições de jogo, foi um prazer participar deste momento, que além de alegrar a tarde dos moradores de Capixaba também vai levar alimento pra muitas famílias que precisam. Quase uma tonelada de alimentos arrecadados. Vitória da solidariedade!”,  comemorou Alan Rick.

Visita a comunidade

O deputado federal Alan Rick aproveitou a ida a Capixaba para conversar com a comunidade local. Almoçou na casa do apoiador Geran Clay ao lado vereador Almilton Costa (DEM/AC), presidente da Câmara de Capixaba, do vice prefeito Richard Lima (DEM/AC), do vereador Antonio França (Republicanos), o secretário de Planejamento de Capixaba Dário Reis e o conselheiro Tutelar Willian Tessinari e outros amigos. O encontro também teve a presença do ex-jogador Amaral.

Após o almoço Alan Rick visitou a Câmara de Vereadores e alguns bairros da cidade para vistoriar ruas que devem receber reparos, pavimentação e calçadas através de recursos de emendas destinadas pelo parlamentar em 2022.

Comentários

Continue lendo

Em alta