O Tribunal Regional Eleitoral do Acre (TRE-AC) realizou na manhã desta terça-feira, 25, treinamento de auxiliares que irão atuar na Auditoria de Funcionamento da Urna Eletrônica, no dia 7 de outubro.

Ao todo, 48 auxiliares e 8 membros da Comissão da Auditoria de Funcionamento da Urna Eletrônica participarão do procedimento que consiste em atestar a confiabilidade da votação por meio eletrônico, dando mais transparência ao processo eleitoral.

Os auxiliares serão os responsáveis pela digitação do voto na urna e no computador, habilitação do voto e posterior conferência, verificando se a quantidade de votos digitada na urna eletrônica foi a mesma depositada pela comissão nas urnas de lona. Fiscais de partidos, OAB, Ministério Público e a sociedade em geral são convidados a acompanharem o procedimento.

O juiz-presidente da Comissão, Afonso Braña Muniz, abriu o treinamento falando sobre os mecanismos de segurança que norteiam as eleições. Ele disse que a auditoria, antes conhecida como votação paralela, não é a única forma de auditar as urnas eletrônicas. “Há vários outros mecanismos de controle e checagem, como o boletim de urna, que comprovam que a urna eletrônica é segura. Esses procedimentos são repetidos a cada eleição para que não restem dúvidas de que a urna é confiável”, destacou.

A auditoria é regulamentada pela Resolução TSE 23.550/2017 com alterações feitas pela Resolução TSE 23.547/2018. Um dia antes da votação, no dia 6 de outubro, são realizados sorteios das urnas que estão preparadas para serem utilizadas nas eleições.

Este ano, seis urnas serão sorteadas, sendo que três serão auditadas no Fórum Eleitoral de Rio Branco, na Alameda Ministro Miguel Ferrante, em um ambiente controlado por câmeras e auditores, no dia da votação (7 de outubro), de 8 às 17 horas; e outras três serão auditadas nas próprias seções eleitorais, com os procedimentos de verificação da autenticidade e integridade dos sistemas.

Renata Brasileiro

Comentários