Fraud Antunes

Por falhas contábeis na prestação de contas da Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre) de 2007, os conselheiros do Tribunal de Contas do Estado (TCE) decidiram realizar uma diligência. A decisão foi tomada na sessão planária realizada manhã desta quinta-feira (20) para verificar de forma detalhada os demonstrativos que não foram apresentados.

O processo mostra que o ex-secretário, Osvaldo de Sousa Leal Júnior, teria repassado R$ 16 milhões para Organizações Não governamentais (ONGs), mas ele não apresentou de forma detalhada a destinação de R$ 5 milhões.

De acordo com a equipe de auditoria, a falta dos demonstrativos não resultou em dano aos cofres públicos, mas os membros o TCE preferiram verificar a documentação que não foi encaminhada na prestação de contas.

Para os conselheiros, o gestor deveria especificar os repasses que foram utilizados para ações de prevenção de doenças. Com a decisão de diligência, o processo voltará a ser reanalisado pela Corte de Contas depois do levantamento das informações requeridas.

Comentários