Juiz Clovis Lodi, durante julgamento, mostra as ‘facas’ usadas para ferir o policial.
Alexandre Lima
Juiz Clovis Lodi, presidiu o julgamento de Francisco ‘Dim’.

Durante o dia desta quarta-feira, dia 2, a Comarca de Brasileia sob o comando do juiz de direito Clovis Lodi, realizou o julgamento de Francisco Costa dos Santos Silva, vulgo ‘Dim’, que teria tentado contra a vida de um policial civil, após invadir sua casa na companhia de um comparsa menor de idade, com intuito de levar sua arma.

O caso aconteceu no mês de março passado, após o policial ter chegado em sua casa. A dupla chegou a desferir vários golpes de arma branca (faca) contra o agente, o deixando ferido em diversos locais, inclusive no rosto.

Promotora Maria de Fátima, demonstrou satisfeita com o resultado do julgamento.

Ao pegar a arma, não conseguiram efetuar disparos contra o agente, por não saberem manusear, para em seguida fugir. Dois dias depois, a dupla foi localizada juntamente com a arma, sendo determinado a internação do menor e o envio de Francisco ao presídio na Capital, até o seu julgamento.

O menor foi ouvido e em seguida, retornou para a Capital. Já no período da tarde, o Júri deliberou sobre a sentença de Francisco, que foi julgado pelos crimes de; Tentativa de Homicídio, Porte Ilegal de Fogo e Corrupção de Menores, tendo como pena base, 30 anos de reclusão.

Por ser menor de 21 anos, a pena reduziu para 13 anos. Foi somado à primeira, mais 6 anos pelo crime de porte ilegal de arma de fogo, seguido de 2 por corrupção de menores, uma vez que seu comparsa é menor de 17 anos.

Na soma total com os meses, Francisco ‘Dim’, foi condenado a 20 anos e 5 meses de reclusão sem direito a apelação. O menor ficará à disposição do Estatuto do Menor e Adolescente, podendo ficar dois anos e meio na pousada do menor, até completar 18 anos e ser liberado.

Matéria relacionadas:

Juiz determina detenção de jovens que tentaram matar policial em Brasiléia

Policial é esfaqueado por bandidos que tentam roubar arma em Brasiléia

VEJA VÍDEO ABAIXO COM ALMIR ANDRADE

Momento da leitura da setença contra Francisco.
Familiares acompanharam o julgamento de Francisco.
Momento em que o menor sai do Fórum após ser ouvido e levado de volta à Capital.

Comentários