Diego é suspeito de ter participado da morte de um adolescente de 14 anos de idade.

Diego da Silva Lima, vulgo “maradona” foi preso pela Polícia Civil em Mâncio Lima
Contilnet

Com dois mandados de prisão em aberto, acusado de homicídio, tráfico de drogas e participação em organização criminosa, Diego da Silva Lima, vulgo “maradona” foi preso pela Polícia Civil em Mâncio Lima, na manhã desta terça-feira, 20.

Diego era um dos traficantes mais procurados por todas as forças policiais na região do Juruá, por ser o principal intermediário entre traficantes peruanos e brasileiros, negociando grandes quantidades de drogas.

_________________________

Há mais de três anos a Polícia Civil investigava esse criminoso, que era o responsável por abastecer a maioria das bocas de fumo da região do Juruá e também tinha ramificações com traficantes das demais regiões do Acre e de outras unidades da federação.

_________________________

Devido ao poderio alcançado no mundo do crime, Diego recentemente se tornou conselheiro de uma organização criminosa e, desde então, passou a ter controle sobre outros criminosos, mandando-os cometer crimes de roubos e homicídios.

Além disso, Diego é suspeito de ter participado da morte de um adolescente de 14 anos de idade. O crime aconteceu no dia 30 de dezembro do ano passado, tendo ligação com a guerra entre facções e o domínio do tráfico. Esse criminoso ainda não tinha sido preso porque todas as vezes que a polícia tentava abordá-lo em flagrante, ele empreendia fuga pela mata, deixando para trás os veículos carregados com drogas.

O secretário de Segurança Pública, Emylson Farias, pronunciou-se sobre a prisão desse elemento de grande poder lesivo para a sociedade. “Que a prisão desse criminoso sirva de exemplo para outras pessoas que queiram entrar para o crime. As forças de segurança irão continuar com o trabalho de combate a criminalidade e ao tráfico de droga. Nos últimos quinze dias, mais de 150 pessoas já foram presas, e esse número tende a aumentar com as futuras ofensivas policiais em todo o Estado do Acre. Estamos fazendo nossa parte”, disse Emylson.

Comentários