Dois suspeitos foram baleados e levados ao PS. Criança morreu com tiro no tórax.

Criança de 11 anos foi morta durante tiroteio em Rio Branco (Foto: Arquivo pessoal)
Por Janequeli Silva e Tácita Muniz, G1 AC, Rio Branco

Um tiroteio entre facções rivais no bairro Preventório, em Rio Branco, terminou com uma criança de 11 anos e mais duas pessoas mortas na noite desta segunda-feira (14). O Batalhão de Operações Especiais (Bope) informou que o tiroteio começou após os policiais fazerem uma operação na área.

A ação no bairro ocorreu após a polícia ter acesso a um vídeo, onde criminosos exibiam armas de grosso calibre e anunciavam a retomada do local. “O João falou que é pra não recuar e vai rolar troca de tiros”, diz um dos trechos do funk divulgado no vídeo.

Os dois mortos foram identificados como Edmilson Fernandes da Silva, de 38 anos, e Maria Cauane da Silva, de 11. A garota morreu após ser atingida com um tiro no tórax. O outro corpo segue sem identificação até a noite desta segunda.

O comandante do Bope, major Assis Santos, conta que uma facção foi tentar retomar a área já dominada pelo grupo rival. Ele diz ainda que os criminosos usaram embarcação para subir o morro. A criança estava na casa de um dos envolvidos no tiroteio, segundo a polícia.

A operação do Bope iniciou ao meio-dia e seguiu até às 16h. “Fomos ao local tentar capturar as armas, mas ficamos até às 16h e não conseguimos apreender nenhuma arma e nem conseguimos prender ninguém. A região era de uma facção criminosa, quando o Bope chegou lá já estava acontecendo o tiroteio e interveio com tiros também”, explica o major.

Duas pessoas foram levadas para a Defla após tiroteio; mais dois suspeitos estão no PS (Foto: Janequeli Silva/CBN)

Uma guarnição que ficou no local soube da tomada de área e pediu reforço. Cerca de 20 policiais do Bope participaram da ação. Quatro pessoas foram presas, duas delas baleadas e encaminhadas ao Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco. Três armas foram apreendidas. Dois suspeitos e o material foram levados para a Delegacia de Flagrantes (Defla). “Depois da operação mais armas sumiram”, conta o major.

Os presos encaminhados à Defla são: Francisco Victor Alves Júnior, de 20 anos, e Carlos Magno Nascimento da Silva, de 30 – que estava sendo monitorado por tornozeleira eletrônica há um ano e cumpria pena no semiaberto por roubo e droga.

Uma perícia mais detalhada deve ser feita na manhã desta terça-feira (15) no local. Uma guarnição do Bope também permanece no local.

Armas foram levadas para a Defla em Rio Branco (Foto: Janequeli Silva)

Comentários