Conecte-se conosco

Geral

Venda da ZPE no Acre abre novas possibilidades de importação e exportação

Publicado

em

O primeiro passo foi dado com a venda no leilão, que ocorreu pelo empenho de nossa secretaria e do governo do Estado, de modo a dar a segurança necessária para os investidores acreditarem no Acre

Investimentos internacionais e geração de emprego e renda para a população acreana. Na essência, esses são os principais atrativos da venda da Zona de Processamento de Exportação (ZPE), arrematada em leilão semana passada por R$ 25,8 milhões pelo grupo de investidores China Haiying do Brasil. A iniciativa foi do governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Indústria, Ciência e Tecnologia (Seict) e da Secretaria Adjunta de Licitações (Selic).

Foram mais de 10 anos de inatividade da ZPE, localizada em Senador Guiomard, que enfim poderá ter nova destinação em breve. Uma das possibilidades é a exportação de carne e importação de eletrônicos via Estrada do Pacífico.

Para dar mais detalhes sobre a empreitada, o secretário Anderson Abreu, titular da Seict, foi convidado a participar de entrevista na Rádio Aldeia FM nesta segunda-feira, 19, com a presença dos radialistas Jairo Carioca e Jonathan Costa.

Confira abaixo um resumo do bate-papo:

Jairo Carioca: Na semana passada, após mais de uma década, a “famosa” ZPE foi arrematada em leilão. Conte-nos mais sobre isso.

Anderson Abreu: Esse é um antigo sonho dos acreanos, mas por problemas diversos, nunca saia do papel, e ainda dava prejuízo de cerca de R$ 20 mil mensais com gastos em segurança e manutenção. O governador Gladson Cameli nos incumbiu (Seict) de dar viabilidade para obras e segmentos parados ou inutilizados de gestões passadas, e a ZPE era um dos nossos principais objetivos. Com a ZPE, o Acre pode mudar de patamar, mudar a realidade do Estado. O primeiro passo foi dado com a venda no leilão, que ocorreu pelo empenho de nossa secretaria e do governo do Estado, de modo a dar a segurança necessária para os investidores acreditarem no Acre. Nossa expectativa é geração de emprego e renda já a partir dos próximos meses.

JC: Aproveitando sua fala, esse foi um dos compromissos de campanha de Gladson Cameli, de dar nova destinação para “elefantes brancos” (obras sem uso). O primeiro passo foi dado na fábrica de preservativos em Xapuri e no antigo frigorífico de Cruzeiro do Sul.

AA: Sempre que o governador ia pra Cruzeiro do Sul, olhava para o frigorífico, bem na entrada da cidade, e nos cobrava (Seict) para darmos viabilidade para aquela obra. Foram gastos milhões de reais no passado nesse prédio, e mesmo assim ele estava em completa deterioração. Não medimos esforços para darmos outra destinação ao empreendimento e hoje temos uma cooperativa de frutas atuando no local, impactando positivamente milhares de pessoas, com empregos diretos e benefícios para a agricultura familiar local.

JC: Com a exportação, vem a geração natural de emprego e renda, e ações como o Sistema de Inspeção Brasileira (Sisb), promovidas pelo Idaf, são importantes nesse processo.

AA: Sim, muito importantes. Ter parcerias das secretarias e da própria Assembleia Legislativa é essencial para que caminhemos no rumo certo, pois ninguém faz nada sozinho. As Federações, como a Fieac, o Sebrae, enfim, todos temos o mesmo objetivo que é a desburocratização e geração de novos oportunidades para o Estado. Todo mundo quer trabalhar, quer oportunidade, e o governo deve facilitar para que isso ocorra.

JC: Qual o diferencial da Estrada do Pacífico para a ZPE?

AA: Não só da ZPE, mas para o projeto de desenvolvimento do país. Ela serve como porta de entrada do Brasil para mercados asiáticos e ainda diminui em cerca de 15 dias o tempo de entregadas mercadorias. Têm outras obras importantes também, como a ponte do Rio Madeira, o Anel Viário de Brasileia, enfim, várias benfeitorias que facilitam os investimentos, e os chineses viram toda essa infraestrutura que está sendo montada, além dos benefícios fiscais. São vários pontos que convergem para os resultados que estamos tendo hoje. Tudo está convergindo para que o Estado mude de patamar. Tenho certeza que, se não fosse a pandemia, estaríamos ainda melhores.

JC: Quais os próximos passos após a venda da ZPE?

AA: Continuar nossa rotina de muito trabalho. Desde 2019, no início da gestão do Gladson, estamos tentando viabilizar esse negócio. Nós abrimos a porta dos investimentos e as perspectivas são grandes; estamos vendo o início de outro patamar para nosso Estado. Há a intenção de venda de carne bovina e até do setor de artefatos eletrônicos, em várias relações comerciais que só tem a nos beneficiar (Acre).

Comentários

Geral

Governo promove políticas públicas para jovens e mulheres no aniversário de Brasileia

Publicado

em

Como parte da programação de aniversário de 112 anos de Brasileia, o governo do Acre, por meio da Secretaria de Assistência Social, dos Direitos Humanos e Políticas para as Mulheres (SEASDHM), esteve no município nesta quinta-feira, 30, prestigiando o evento e apresentando políticas públicas para a população.

O chefe de Departamento de Juventude da SEASDHM, Caio Pinheiro, apresentou a escola criativa Co.liga para os brasileenses. Foto: Franklin Costa/SEASDHM

Uma das ações desenvolvidas na oportunidade foi o lançamento da Co.liga, uma escola virtual de economia criativa que visa oferecer cursos livres e gratuitos, com 37 opções segmentadas em cinco áreas: patrimônio, música, multimídia, design e artes visuais.

Oportunidade para os jovens

Com o apoio do Estado, Brasileia é a primeira cidade do Acre a aderir ao Co.liga. O Município irá viabilizar a qualificação com o apoio dos laboratórios locais do Senac, disponibilizando computadores e conexão à internet para a juventude.

“O Co.liga é alinhado com a nossa gestão, que busca proporcionar estudo, qualificação e lazer para os nossos jovens”, aponta a gestora estadual. Foto: Franklin Costa/SEASDHM

Movimentos de jovens da comunidade também estiveram presentes na cerimônia, como o grupo de graffiti TRZ Crew, além de alunos da Escola Instituto Odilon Pratagi e da Escola Kairala José Kairala, que foram convidados para participar da cerimônia de adesão. Representando esse público, a estudante Ana Clara Gomes agradeceu: “Gostaria de mostrar satisfação pelo carinho e a oportunidade oferecidos, espero que meus colegas aproveitem bastante a escola digital”.

A titular da SEASDHM, Ana Paula Lima, reafirmou o compromisso do governo com os municípios parceiros. “Essa é uma ótima oportunidade para a juventude acreana, com oportunidades de crescimento saudável, apresentando a importância de uma boa qualificação. Vamos enriquecer nossos currículos”, conclamou.

“Procuramos sempre prestar o melhor apoio possível para os jovens de Brasileia”, aponta a prefeita Fernanda Hassem. Foto: Franklin Costa/SEASDHM

“Quando vejo os nossos jovens, lembro como eu era; sempre busquei ser participativa e usufruir de tudo que era proporcionado para a juventude da minha época. Eu os aconselho a procurar ser engajados e sempre se esforçar pelo seu futuro”, incentivou a prefeita do município, Fernanda Hassem.

Para saber mais sobre a Co.liga:

https://coliga.digital/

Combate à violência doméstica

Além de oportunizar qualificação para a juventude brasileense, o Estado realizou a entrega de 300 cestas básicas para atender famílias em situação de vulnerabilidade social do município, prezando maior apoio aos grupos familiares compostas por mulheres vítimas de violência doméstica.

Ana Paula Lima assegura: “Estamos preparadas para atender a população e mostrar que temos um governo atuante, que preza o bem-estar das mulheres”. Foto: Franklin Costa/SEASDHM

“Essa é uma das diversas maneiras de o governo prestar apoio direto a mulheres que se encontram fragilizadas, estamos aqui dispostos a acolhê-las de todas as formas”, enfatiza Ana Paula Lima.

O Ônibus Lilás proporciona atendimentos de maneira sigilosa e itinerante para mulheres de todo o estado. Foto: Carlos Alexandre/SEASDHM

A diretora de Direitos Humanos e Políticas para Mulheres da SEASDHM, Claire Cameli, deu ênfase aos serviços prestados pela unidade móvel Ônibus Lilás, que conta com equipe multidisciplinar, proporcionando atendimentos jurídicos, psicológicos e de assistência social para mulheres em vulnerabilidade.

“Corremos todo o estado levando políticas públicas e apresentando direitos para as mulheres acreanas”, afirma. A equipe esteve presente no município por dois dias, prestando seus serviços de maneira itinerante e realizando conversas que reforçam a importância de combater a violência doméstica.

Comentários

Continue lendo

Geral

Mês de julho terá 14 leilões judiciais

Publicado

em

Os eventos estão abertos para lances e ocorrem exclusivamente na modalidade eletrônica

Três leilões judicias serão realizados no dia 4 de julho, da 1ª e 2ª Vara Cível de Rio Branco e 1ª Vara de Fazenda Pública. Está disponível um terreno no Distrito Industrial, um terreno no Centro, uma casa situada no bairro Habitasa e um galpão na BR-364. Se os imóveis não forem arrematados, serão ofertados novamente no dia 18.

No dia seguinte, são mais quatro eventos, sendo da Vara Cível de Plácido de Castro, 1ª, 4ª e 5ª Vara Cível de Rio Branco, com: um carro, uma moto, uma caixa de som, dois terrenos, 60 armações de óculos e uma chapa de mármore sintético.

A 2ª, 4ª e 5ª Vara Cível de Rio Branco também estão com leilões agendados para o dia 8. Há uma fazenda no Antimary, um duplex no bairro Abraão Alab, uma casa no bairro Base e dois terrenos, sendo um no Residencial Mariana e outro no Village.

No dia 11, a Vara Cível de Plácido de Castro oferta uma edificação avaliada em mais de R$ 1 milhão. Um lote com uma escovadeira, enchedeira e máquina higienizadora pode ser arrematado até o dia 14, no leilão da Vara Cível de Brasileia.

Mais duas vendas públicas serão realizadas no dia 15 e a última no dia 18, da Vara Única de Xapuri, Vara Cível de Sena Madureira e Vara Única de Manoel Urbano, respectivamente. Essas com um ponto comercial de dois pavimentos, onde o piso superior tem três apartamentos; uma chácara com galpão e balança rodoviária na Gleba de Sena Madureira; um terreno na travessa da Vila Militar; uma casa de alvenaria e madeira no centro de Sena Madureira e um galpão com instalações para uma serraria em

 Miriane Teles | Comunicação TJAC

Comentários

Continue lendo

Geral

Novos juízes leigos e conciliadores começam a trabalhar no Poder Judiciário do Acre

Publicado

em

Processo seletivo foi realizado em dezembro de 2021. Profissionais assumiram nesta sexta, 1º de julho, e novos termos devem ser assinados em ambas as áreas até agosto.

 

A partir de processo seletivo realizado em dezembro de 2021, o Poder Judiciário do Acre ganha novos profissionais em seu quadro de juíza e juiz leigo, conciliadora e conciliador. Alguns iniciaram o trabalho nesta sexta-feira, 1° de julho. Mais pessoas devem assumir na segunda-feira, dia 4.

Foram 1.722 inscritos no processo seletivo que selecionou profissionais para atuarem como juíza e juiz leigo e conciliador e conciliadora do Sistema de Juizados Especiais e conciliador e conciliadora para atuação nas Varas de Família e Cíveis do Poder Judiciário do Acre.

O edital elencou 22 cidades para designação dos aprovados, e possui cadastro de reserva. A distribuição dos aprovados foi dividida em nove grupos, de acordo a Resolução N° 58/2021.

Assumiram nesta sexta-feira, uma juíza leiga e dois juízes leigos, e três conciliadores. Dessa forma, o Poder Judiciário do Acre conta agora com 14 conciliadores e 11 juízes leigos.

A Administração está no aguardo de mais um juiz leigo e uma conciliadora e um conciliador para assinarem o Termo de Adesão, na segunda-feira, 4. E também com previsão de novos termos para ambas as áreas até o mês de agosto.

A presidente do Tribunal de Justiça do Acre, desembargadora Waldirene Cordeiro, ressalta a importância da inserção de novos profissionais no Judiciário, para continuar avançando na melhoria da prestação dos serviços jurisdicionais aos cidadãos.

 Andréa Zílio | Comunicação TJAC

Comentários

Continue lendo

Em alta