Conecte-se conosco

Cotidiano

Venezuelanos fazem fila por carne estragada em polo energético castigado por apagões

Publicado

em

Maracaibo já foi símbolo da riqueza proporcionada pelo petróleo, mas seus moradores não conseguem mais refrigerar alimentos em razão dos apagões constantes que atingem região há 9 meses

MARACAIBO, VENEZUELA – Em Maracaibo, cidade que já foi considerada a Arábia Saudita da Venezuela por sua ampla reserva de petróleo e pela riqueza proporcionada pela commodity, os moradores fazem fila para comprar carne estragada já que não é mais possível refrigerar alimentos em razão da falta de energia constante – realidade da região há mais de 9 meses e que tem piorado recentemente.

Algumas pessoas ficam doentes depois de comer carne podre, mas como elas são vendidas a preços baixos, em muitos casos essa tem sido a única maneira que muitos venezuelanos encontraram para ingerir proteína em um país cada vez mais afetado por uma severa crise econômica.

Venezuelana ‘inspeciona’ carne estragada vendida em mercado popular de Maracaibo Foto: AP Photo/Fernando Llano

“(A carne) tem um cheiro forte, mas é só enxaguar com um pouco de vinagre e limão”, explica Yeudis Luna, pai de três garotos, enquanto compra cortes de carne já escurecida em um açougue nesta que é a segunda maior cidade da Venezuela.

Os venezuelanos enfrentam a pior crise econômica na histórica do país, que tem as maiores reservas conhecidas de petróleo do mundo. Serviço básicos como água encanada e energia elétrica se tornaram luxo para grande parte da população.

O presidente socialista Nicolás Maduro culpa uma “guerra econômica” travada pelos Estados Unidos e outras potências capitalistas pela situação do país. O governador do Zulia, Estado onde fica Maracaibo, Omar Prieto, disse recentemente que a administração trabalha para acabar com os blecautes constantes, mas que ainda não é possível dizer quando a situação será normalizada.

A extensa área portuária de Maracaibo, às margens de um vasto lago, era um dos principais centros de produção de petróleo da Venezuela, de onde saia cerca de metade do petróleo bruto do país, que era embarcado para todo o mundo.

A ponte sobre o Lago Maracaibo é uma lembrança de quando a situação do país era melhor. A estrutura de oito quilômetros de comprimento, construída há cinco décadas, brilhava à noite com milhares de luzes, ligando a cidade ao resto da Venezuela. Maracaibo era limpa e movimentada e tinha muitos restaurantes internacionais.

Hoje, as luzes da ponte não são mais acesas e plataformas de petróleo quebradas se espalham pelo lago, cujas margens estão poluídas. Os centros comerciais outrora luxuosos caíram em ruínas e as empresas internacionais deixaram a cidade.

Nos últimos nove meses, os moradores de Maracaibo tem sofrido com os apagões constantes. E as coisas ficaram ainda pior depois que no dia 10 um incêndio destruiu a principal linha de energia que abastecia essa cidade de 1,5 milhão de pessoas.

As geladeiras se tornaram peças de decoração na maioria casas e as carnes passaram a estragar rapidamente. Pelo menos quatro açougues vendem carne apodrecida em Las Pulgas, o mercado central de Maracaibo.

O açougueiro Johel Prieto conta que a falta de refrigeração fez com que um lado inteiro de uma grande peça de carne apodrecesse. Ele admite que triturou grande parte e misturou com uma peça de carne fresca, na tentativa de mascarar a deterioração.

Uma bandeja de carne moída e de outros cortes acinzentados expostos em seu balcão a céu aberto é alvo das moscas – e de um fluxo constante de clientes. Alguns usam essa carne para alimentar seus cães, mas muitos cozinham para suas famílias, explica Prieto.

“É claro que eles comem a carne – graças a Maduro” diz o açougueiro. “A comida dos pobres é comida estragada.”

Do outro lado da rua, em outro comércio, um açougueiro – sem camisa e fumando um cigarro – oferece bandejas de cortes escurecidos.”As pessoas estão comprando”, afirma José Aguirre, enquanto descarrega um lote de frango estragado.

Luna, um vigia de estacionamento de 55 anos de idade, levou um quilo de cortes bovinos para casa sabendo que estavam em condições inadequadas para consumo.

No ano passado, sua mulher foi para a Colômbia e o deixou com os filhos os três filhos, de 6, 9 e 10 anos. Segundo Luna, ela não aguentava mais passar fome e, desde então, ele não tem notícias da companheira.

Para preparar a carne, o vigia diz que primeiro a lava com água e depois a deixa de molho durante a noite em vinagre. Ele espreme dois limões e a cozinha com tomate e cebola.

Atualmente, Luna e seus filhos só conseguem comer carne apodrecida. “Estava preocupado que ficariam doentes por causa do mau cheiro”, diz o vigia. “Mas só o mais novo teve diarreia e vomitou.” / ASSOCIATED PRESS

Comentários

Cotidiano

Brasil x Tunísia: Tite discute com zagueiro expulso após falta em Neymar; vídeo

Publicado

em

Por

No primeiro tempo, Bronn recebeu o cartão vermelho por entrada no camisa 10 da Seleção

Tite e Dylan Bronn, jogador da Tunísia expulso por falta em Neymar, discutem

O primeiro tempo de Brasil x Tunísia, amistoso disputado em Paris, na França, foi marcado por uma caça individual em Neymar. Em uma das faltas sofridas pelo camisa 10 brasileiro, o zagueiro tunisiano Bronn recebeu o cartão vermelho, aos 41 minutos.

Confusão: Bronn leva cartão vermelho por falta dura em Neymar e jogadores discutem

Em campo, os companheiros brasileiros cercaram o árbitro cobrando a expulsão. Já na saída do gramado, o camisa 6 da Tunísia e Tite, técnico da Seleção, discutiram rapidamente. Clique foto imagem (veja abaixo) foi gravada pela reportagem do ge presente no estádio Parque dos Príncipes.

Dylan Bronn é expulso em Brasil x Tunísia  — Foto: FRANCK FIFE / AFP

Dylan Bronn é expulso em Brasil x Tunísia — Foto: FRANCK FIFE / AFP

Comentários

Continue lendo

Cotidiano

“Agora é focar na decisão”, destaca técnico do Galvez após goleada no Acreano Feminino

Publicado

em

Por

Wemerson de Araújo, o Rambinho, celebra goleada do Galvez sobre Rio Branco-AC por 8 a 0, nessa segunda-feira, e mira confronto contra líder São Francisco, valendo vaga na decisão do 2º turno

O Galvez fez o dever de casa e goleou o Rio Branco-AC por 8 a 0, nessa segunda-feira (26), no estádio Florestão, em Rio Branco (AC), em confronto válido pelo fechamento da segunda rodada do segundo turno do Campeonato Acreano Feminino de Futebol.

Galvez goleia Rio Branco-AC no fechamento da segunda rodada do returno do Campeonato Acreano Feminino — Foto: Arquivo pessoal/Wemerson de Araújo

Galvez goleia Rio Branco-AC no fechamento da segunda rodada do returno do Campeonato Acreano Feminino — Foto: Arquivo pessoal/Wemerson de Araújo

Com o resultado o Imperador chegou aos seis pontos e igualou o líder São Francisco, que tem a mesma pontuação. O São Chico fica na liderança pelo critério saldo de gols (20 contra 11). As duas equipes se enfrentam na terceira e última rodada.

– Graças a Deus saímos com resultado positivo contra o Rio Branco. Agora é focar na decisão contra o São Francisco, eles jogam pelo empate, mas decisão é decisão né? Trabalhar e focar pra gente sair com resultado positivo – disse o técnico.

– Sabemos que tem uma grande equipe do outro lado, mas vamos focar em busca do nosso objetivo – emendou.

Galvez e São Francisco se enfrentam na próxima segunda-feira (3), a partir das 16h, no estádio Florestão. O São Chico tem vantagem do empate para chegar à decisão do returno.

Comentários

Continue lendo

Cotidiano

“Estamos de cabeça erguida”, diz técnico do Sena Madureira após eliminação no Acreano Feminino

Publicado

em

Por

Time do interior é goleado por 4 a 1 pela Assermurb, nessa segunda-feira, no Florestão, e não tem mais chances de brigar pela vaga na final do 2º turno. Despedida é nesta quinta contra o Vasco-AC

O Sena Madureira entrou em campo nessa segunda-feira (26), contra a Assermurb, pela segunda rodada do segundo turno do Campeonato Acreano Feminino, com chances de brigar pela liderança do grupo A e sonhando em chegar à decisão da metade final do estadual. No entanto, acabou goleado por 4 a 1 e está eliminado da disputa pelo título. O gol de honra do time do interior foi marcado pela atacante Nica.

Mas, apesar do resultado negativo, o técnico da equipe, Adriano de Souza, fez questão de elogiar o trabalho realizado na primeira participação do clube em uma competição oficial de futebol.

Sena Madureira é terceiro colocado no grupo A no 2º turno com um ponto — Foto: Divulgação/Sena Madureira EC

Sena Madureira é terceiro colocado no grupo A no 2º turno com um ponto — Foto: Divulgação/Sena Madureira EC

– Momento histórico na nossa família, no Esporte Clube Sena Madureira. Temos aí quatro meses de vida (o clube) e conseguimos alguns objetivos pessoais. Não alcançamos o nosso sonho que era chegar nas finais, mas estamos de cabeça erguida. O sonho continua, as atletas ganharam mais experiência, se adaptaram bem ao campo mesmo sendo jogadores de puro futsal – afirmou.

O treinador pontuou que algumas situações extracampo acabaram atrapalhando a preparação da equipe para a partida decisiva. Se vencesse, o Sena Madureira chegaria na última rodada com chances reais de disputar liderança e a vaga na final do segundo turno.

– Começamos bem (o jogo), houve respeito de ambos os lados, mas fatores internos influenciaram muito pra esse jogo. Tivemos aqui (em Sena Madureira) a Copa da Floresta, uma semana todinha de trabalho, jogos por cima de jogos, nosso campo de treinamento estava ocupado e não pudemos fazer sequer um treinamento para esse jogo tão importante. Infelizmente, em duas semanas só treinamos uma vez. E pra um time que sonha ser campeão é pouco, mas sabemos que estamos no caminho certo – detalhou.

Com a eliminação, o Sena Madureira vai se despedir da competição contra o Vasco-AC, em confronto da última rodada, nesta quinta-feira (29). O treinador deve aproveitar a partida para dar oportunidade as atletas que não tiveram tantos minutos em jogos anteriores. Sem mais chances de título, ele exaltou a gratidão por todos que contribuíram para a participação do clube no estadual.

– Agradecer a toda a comissão técnica e, principalmente, às meninas, que nos ajudaram a sonhar. E a todas as pessoas que contribuíram de uma forma direta e indireta – concluiu.

O Sena Madureira é o terceiro colocado no grupo A com um ponto. A despedida contra o Vasco-AC é nesta quinta-feira, às 18h, no estádio Florestão.

Comentários

Continue lendo

Em alta