Em áudio, também enviado à mãe pelo WhatsApp, eles relatam que o corpo teria sido abandonado à beira do Rio Acre, na região do Taquari

Foto enviada a mãe do jovem/Foto: Reprodução

O vídeo, de apenas 19 segundos enviado pra mãe do jovem desaparecido desde a tarde de domingo (25), vazou nas redes sociais e mostra Ilgner Dantas Cardoso sendo interrogado por uma facção criminosa.

Ele aparece sentado em um sofá amarrado, em uma espécie de cativeiro e com a roupa que saiu de casa. Chorando, ele é obrigado a dizer que se arrependeu por ser de outra facção e que iria voltar pra igreja.

O vídeo teria sido gravado momentos antes dele ser assassinado. Além do vídeo, a mãe recebeu uma foto com duas armas apontadas para a cabeça do filho, além de outra foto dele com a boca amordaçada, já morto a golpes de pauladas e tiros.

 

Em áudio, também enviado a mãe pelo WhatsApp, eles relatam que o corpo teria sido abandonado à beira do Rio Acre, na região do Taquari, mas até a manhã desta terça-feira (28) não havia sido encontrado. O caso está sob a responsabilidade da Delegacia de Homicídios e Proteção a Pessoa (Dhpp).

Entenda o caso

Uma mãe, que não teve nome revelado e que estava em busca do paradeiro do filho desaparecido desde a tarde de domingo, recebeu imagens chocantes em vídeos onde um rapaz é torturado e assassinado. As imagens supostamente seriam de Ilger Dantas Cardoso, 23 anos, desaparecido desde a tarde de domingo.

A mãe de Ilger Dantas Cardoso recebeu, na manhã de segunda-feira (26), informações via áudios e vídeo dando conta de que o rapaz, que foi visto pela última vez as 13 horas de domingo (25) teria sido assassinado a pauladas e tiros. Um vídeo do suposto assassinato do rapaz foi enviado a mãe do desaparecido. Ainda não há comprovações sobre a veracidade das imagens.

Segundo familiares do jovem desaparecido, as imagens e os áudios relatando o provável assassinato foram enviados por uma pessoa não identificadas e apagados logo em seguida.

“Eles mandaram um vídeo, uma foto e áudio dizendo que tinham matado ele. Disseram que o corpo estava jogado no bairro Taquari. A mãe dele o reconheceu. Apagaram as imagens em seguida. Estamos pedindo ajuda para localizar o corpo”, diz parente do desaparecido

A família registrou o caso na Delegacia de Homicidios e pede providencias.

“Caso alguém tenha informações sobre ele, vivo ou morto, a família pede que entrem em contato com a polícia ou através dos números. 99234831 ou 999208365”, diz o parente.

Comentários